Tomada de decisão eficaz - uma estrutura

Veja também: Tomando uma decisão

Nossa página em Tomando decisões discute algumas das questões em torno da tomada de decisão.

Esta página descreve uma estrutura possível para tomar decisões eficazes. É um modelo de sete estágios e foi originalmente projetado para uso em grupos e organizações. No entanto, não há razão para que você não possa usar o mesmo método, ou um formulário simplificado, para decisões em casa.

O importante é passar por todas as etapas sucessivamente, nem que seja para decidir que não são relevantes para a situação atual.



1. Listando Possíveis Soluções / Opções

Para chegar a uma lista de todas as soluções possíveis e / ou opções disponíveis, geralmente é apropriado usar um processo de resolução de problemas em grupo (ou individual). Este processo pode incluir brainstorming ou algum outro processo de 'geração de ideias'.

Veja nossas páginas em Solução de problemas e Pensamento criativo Para maiores informações.



Este estágio é importante para os processos gerais de tomada de decisão, pois a decisão será feita a partir de uma seleção de opções fixas.

Lembre-se sempre de considerar a possibilidade de não tomar uma decisão ou não fazer nada e estar ciente de que ambas as opções são, na verdade, soluções potenciais em si mesmas.


2. Estabelecer uma escala de tempo e decidir quem é responsável pela decisão

Ao decidir quanto tempo disponibilizar para o processo de tomada de decisão, é útil considerar o seguinte:

  • Quanto tempo está disponível para ser gasto nesta decisão?
  • Existe um prazo para a tomada de decisão e quais são as consequências de não cumpri-lo?
  • Existe uma vantagem em tomar uma decisão rápida?
  • Quão importante é tomar uma decisão? Quão importante é que a decisão seja certa?
  • Despender mais tempo melhorará a qualidade da decisão?

Lembre-se de que às vezes uma decisão rápida é mais importante do que a decisão 'certa' e que, em outras ocasiões, o inverso é verdadeiro.

Veja também nossa página: Gerenciamento de tempo .

Responsabilidade pela Decisão



Antes de tomar uma decisão, você precisa deixar claro quem vai assumir a responsabilidade por ela.

Lembre-se de que nem sempre quem toma a decisão é quem deve assumir a responsabilidade por ela. É um indivíduo, um grupo ou uma organização?

Esta é uma questão chave porque o grau em que a responsabilidade por uma decisão é compartilhada pode influenciar muito a quantidade de risco que as pessoas estão dispostas a correr.



Se a tomada de decisão é para o trabalho, é útil considerar a estrutura da organização.

  • O indivíduo é responsável por suas decisões ou a organização detém a responsabilidade final?
  • Quem deve executar o curso de ação decidido?
  • Quem será afetado se algo der errado?
  • Você está disposto a assumir a responsabilidade por um erro?

Finalmente, você precisa saber quem pode realmente tomar a decisão. Ao ajudar um amigo, colega ou cliente a tomar uma decisão, na maioria das circunstâncias, a decisão final e a responsabilidade serão assumidas por eles.

Sempre que possível, e se não for óbvio, é melhor concordar formalmente sobre quem é o responsável por uma decisão.

o que significa "|" significa em matemática

Essa ideia de responsabilidade também destaca a necessidade de manter um registro de como qualquer decisão foi tomada, em quais informações ela se baseou e quem esteve envolvido. É preciso manter informações suficientes para justificar essa decisão no futuro, de modo que, se algo der errado, seja possível mostrar que sua decisão foi razoável na circunstância e dado o conhecimento que você detinha na época.


3. Coleta de informações

Antes de tomar uma decisão, todas as informações relevantes precisam ser coletadas.



Se houver informações inadequadas ou desatualizadas, é mais provável que uma decisão errada seja tomada. Se houver muitas informações irrelevantes, a decisão será difícil de tomar e será mais fácil se distrair com fatores desnecessários.

Portanto, você precisa de informações atualizadas e precisas para tomar decisões.

No entanto, a quantidade de tempo gasta na coleta de informações deve ser avaliada em relação ao quanto você está disposto a arriscar tomando a decisão errada. Em uma situação de grupo, como no trabalho, pode ser apropriado que diferentes pessoas pesquisem diferentes aspectos das informações necessárias. Por exemplo, diferentes pessoas podem ser alocadas para concentrar sua pesquisa em custos, instalações, disponibilidade e assim por diante.

Você pode encontrar as páginas em nosso Habilidades de Estudo e Métodos de pesquisa seções úteis durante o estágio de coleta de informações da tomada de decisão. Nossas páginas Leitura Eficaz e Tomando notas pode ser de particular relevância.

4. Pesando os riscos envolvidos

Uma questão chave é quanto risco deve ser assumido ao tomar a decisão? Geralmente, a quantidade de risco que um indivíduo está disposto a assumir depende de:

  • A gravidade das consequências de uma decisão errada.
  • Os benefícios de tomar a decisão certa.
  • Não apenas o quão ruim pode ser o pior resultado, mas também a probabilidade de esse resultado acontecer.

Também é útil considerar qual pode ser o risco de ocorrência do pior resultado possível e decidir se o risco é aceitável. A escolha pode ser entre 'fazer tudo para o sucesso' ou tomar uma decisão segura.

Para mais informações sobre risco, consulte nossa página em Gerenciamento de riscos .

5. Decidindo Valores

Todo mundo tem seu próprio conjunto único de valores: o que eles acreditam ser importante. As decisões que você tomar serão, em última análise, baseadas em seus valores. Isso significa que a decisão certa para você pode não ser a certa para outra pessoa.

Se a responsabilidade por uma decisão for compartilhada, é possível que uma pessoa não tenha os mesmos valores que as outras.

Nesses casos, é importante obter um consenso sobre quais valores devem receber maior peso. É importante que os valores sobre os quais uma decisão é tomada sejam compreendidos porque eles terão uma forte influência na escolha final.


6. Pesando os prós e contras

É possível comparar diferentes soluções e opções considerando as possíveis vantagens e desvantagens de cada uma.

Algumas organizações têm um processo formal exigido neste estágio, incluindo uma avaliação financeira, portanto, verifique com antecedência se você está tomando uma decisão no trabalho.


Uma boa maneira de fazer isso é usar um ' balanço patrimonial ', pesando os prós e os contras (benefícios e custos) associados a essa solução. Tente considerar cada aspecto da situação separadamente e identifique os bons e os ruins.

Por exemplo, comece com os custos, depois passe para os aspectos de pessoal e, em seguida, talvez para questões de apresentação.

Depois de listar os prós e os contras, pode ser possível decidir imediatamente qual opção é a melhor. No entanto, também pode ser útil classificar cada um dos prós e contras em uma escala simples de 1 a 10 (com 10 - mais importante a 1 - menos importante).

Ao pontuar cada um dos prós e contras, ajuda a levar em consideração a importância de cada item da lista no cumprimento dos valores acordados. Esta abordagem de balanço permite que isso seja levado em consideração e apresenta-o de forma clara e direta.


7. Tomada de decisão

Finalmente, é hora de realmente tomar a decisão!

Sua coleta de informações deve ter fornecido dados suficientes para basear uma decisão, e agora você conhece as vantagens e desvantagens de cada opção. É, como o programa de televisão Oportunidade bate à porta tinha, ‘Make Your Mind Up Time’.

Aviso!


Você pode chegar a este estágio e ter um claro 'vencedor', mas ainda se sentir desconfortável. Se for esse o caso, não tenha medo de revisitar o processo. Você pode não ter listado todos os prós e contras ou pode ter colocado uma ponderação inadequada em um fator.

Sua intuição ou 'pressentimento' é um forte indicador de se a decisão é certa para você e se encaixa com seus valores.


Se possível, é melhor dar tempo para refletir sobre uma decisão, uma vez que ela tenha sido alcançada. É preferível dormir sobre isso antes de anunciá-lo aos outros. Depois que uma decisão é tornada pública, é muito difícil mudar.

Para decisões importantes, vale sempre manter um registro das etapas seguidas no processo de tomada de decisão. Dessa forma, se você for criticado por tomar uma decisão errada, poderá justificar seus pensamentos com base nas informações e processos que utilizou na época. Além disso, ao manter um registro e se envolver com o processo de tomada de decisão, você estará fortalecendo sua compreensão de como ele funciona, o que pode tornar as decisões futuras mais fáceis de gerenciar.

estratégias de tomada de decisão e resolução de problemas

Tendo tomado a decisão ...

Finalmente, e talvez o mais importante, depois de tomar uma decisão, não perca seu tempo pensando em 'e se'. Se algo der errado e você precisar rever a decisão, faça isso. Mas, caso contrário, aceite a decisão e siga em frente.


Conclusão

Esta página definiu uma técnica de tomada de decisão que você pode gostar de usar. Lembre-se, porém, de que nenhuma técnica pode substituir o bom senso e o raciocínio claro. Todas as tomadas de decisão envolvem julgamento individual, e as técnicas sistemáticas existem apenas para auxiliar esses julgamentos.

Continua a:
Solução de problemas
Gerenciamento de riscos